Os cinemas de rua de Jundiaí

Nos anos 50, década onde a maioria das salas de projeção abriram suas portas em Jundiaí, ir ao cinema era um acontecimento. Elegantemente vestidos, os telespectadores tinham a sua disposição grandes e confortáveis poltronas de mola, e frequentemente eram recebidos pelo próprio dono do cinema, com um largo sorriso no rosto.

Porteiro e lanterninhas do Cine Ipiranga, 1954

Vivos somente na memória e nas fotografias, os cinemas de rua de Jundiaí foram um dos principais meios de entretenimento da população da cidade. E como cantou Rita Lee em 1982, era no escurinho do cinema que as paqueras que aconteciam na rua antes das sessões se concretizavam, em forma de beijos e carícias trocadas, que muitas vezes eram interrompidas pelos lanterninhas.

Programação dos cinemas, setembro de 1973Contudo, os anos foram passando, a cidade cresceu e novas tecnologias surgiram. A decadência começou na década de 70, com a chegada da televisão e do VHS, entre outros fatores.

Da maioria não existe nem mais o prédio que os abrigava, alguns ainda continuam de pé ou preservam pelo menos a fachada, e abrigam outros tipos de negócios – ‘culpa’ da especulação imobiliária, que começou a ocupar os espaços, privilegiados por serem de grande porte e localizados em regiões centrais, além de já serem pontos conhecidos pela população.

Entre os principais cinemas que existiram na cidade estão:

Cine Marabá, década de 1950CINE MARABÁ
Fundado em 1954, funcionou na Rua do Rosário, 311. Contava com 336 lugares e projetava filmes em 35 mm. Funcionava diariamente, com uma média de 786 sessões anuais. Por lá passaram cerca de 98.370 espectadores.

Cine Teatro RepúblicaCINE TEATRO REPÚBLICA
Fundado em 1953, funcionou na Rua Barão do Rio Branco, 398. Contava com 900 lugares e projetava filmes em 35 mm. Funcionava diariamente, com uma média de 407 sessões anuais.  Por lá passaram cerca de 167.513 espectadores.

Cine Ipiranga, 1960CINE IPIRANGA
Fundado em 1952, funcionou na Rua Barão de Jundiaí, 806. Contava com 1453 lugares e projetava filmes em 35 mm. Funcionava diariamente, com uma média de 802 sessões anuais.  Por lá passaram cerca de 344.274 espectadores.

Cine Teatro PoliteamaCINE TEATRO POLITEAMA
Fundado em 1953, funcionou na Rua Barão de Jundiaí, 182. Contava com 1310 lugares e projetava filmes em 35 mm. Funcionava diariamente, com uma média de 530 sessões anuais. Por lá passaram cerca de 168.818 espectadores.

Auto Cine BacaratAUTO CINE BACARAT
Cinema ao ar-livre, no estilo drive-in, funcionou entre 1970 e 1981 na Rua do Retiro, onde hoje fica o condomínio Morada dos Deuses.

CINE ARGOS – Av. Dr. Cavalcante, 341. Fundado em 1950, com 500 lugares e exibição de filmes em 16 mm.

CINE AURORA – Av. Jundiaí, 180. Fundado em 1957, com 200 lugares e exibição de filmes em 16 mm. Funcionava 2 dias por semana, com média anual de 145 sessões. Recebeu cerca de 15.004 espectadores.

CINE TEATRO IDEAL – Rua Rangel Pestana, 340. Fundado em 1953, com 600 lugares e exibição de filmes em 35 mm. Funcionava diariamente, com média anual de 753 sessões. Recebeu cerca de 50.625 espectadores. (Fundado originalmente em 1912 sob o nome de Cine Rink, e renomeado posteriormente).

CINE SÃO JOÃO – Rua Osvaldo Cruz, 231. Fundado em 1951, com 500 lugares e exibição de fimes em 16 mm.

CINE VITÓRIA – Rua Três, 39 – Vila Jundiainópolis. Fundado em 1956, com 432 lugares e exibição de filmes em 35 mm. Funcionava diariamente, com média anua de 407 sessões. Recebeu cerca de 43.132 espectadores.

Além destes, muitos outros cinemas e cineclubes fizeram – e fazem – parte da história da cidade, que conta atualmente com 2 cinemas (Moviecom e Cinépolis) e alguns cineclubes (Consciência, Cinematec e Idalina, por exemplo).

As imagens são do acervo do Profº Maurício Ferreira, proprietário do Sebo Jundiaí. Dados sobre os cinemas do blog Cine Mafalda.

Anúncios

10 pensamentos sobre “Os cinemas de rua de Jundiaí

  1. faltou colocar o Cine Alvorada, atrás da Igreja da Ponte São João e o cine São José na Varzea Paulista onde é hoje o Supermercado Russi, em frente a prefeitura, na época Varzer era um bairro de Jundiai.!

    Curtir

  2. Meu caro senhor Gustavo Koch.
    Deve haver algum engano quanto a data de fundação dos cinemas Republica,Politheama e Ideal. Em 1948 eu fui ajudante de projecionista no Republica e tinha 16 anos. Meu primo era o projecionista a já uns dois anos.
    Os três cinemas passavam o mesmo filme. No Ideal começava mais cedo e carregadores traziam os rolos para o Republica e desse ia para o Politheama.
    Desculpe a intromissão.

    Curtir

    • Obrigado pelas informações, Esmaldes!

      Os dados são baseados em uma relação publicada pelo blog Cine Mafalda. Devido a escassez de informações disponíveis, fica difícil averiguar estes dados.

      Caso queira, pode entrar em contato através do e-mail gustavo.hs.koch@gmail.com, ficarei feliz em receber informações de alguém que fez parte desta história.

      Abraço!

      Curtir

  3. Pingback: No Solar do Barão: “Da carta ao e-mail: Por onde anda a comunicação?” – Gustavo Koch

  4. Também existiu, à época, o Cine da Cruzada da Mocidade Católica, atrás do prédio do Mosteiro de São Bento, na Praça Tibúrcio Estevam de Siqueira(praça do Fórum). Parabéns pela matéria.

    Curtir

  5. Parabéns pela matéria. O Cine Vila Arens ficava na Rua General Carneiro 100, hoje salão paroquial da Igreja de Vila Arens.
    trabalhei desde a inauguração até o fechamento. Tinha capacidade para 890 lugares sentados. O Cinema foi fundado pelo padre Tomaz Milani e depois reformado pelo Padre Arlindo Binotto.
    José Roberto Pereira

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s